A MUSICA E A SAUDE - MENTAL, FISICA E SOCIAL
(SIGUE EN LA TRADUCCIÓN)
A respeito dos benefícios da prática e da 'escuta' musical muito se diz:
que melhora a sinapse cerebral, os reflexos, o Q.I., o raciocínio matemático,
relaxa os músculos e melhora a sociabilidade.
Àqueles que gostam do assunto recolhi alguns textos seguidos de suas referencias
para quem quiser ler os artigos e entrevistas na íntegra.
Indico, particularmente, os dois últimos textos - que são artigos de revistas
da Universidade Estadual de Ponta Grossa e da Universidade de São Paulo.


''Não existe uma sequer partícula da essência do ser humano ou da vida no Planeta
Terra que escape dos efeitos da música. Ela interfere em tudo. Nos seres
viventes, interfere na digestão, na produção de secreções, na circulação, nas
batidas cardíacas, na respiração, nutrição, etc, etc... Na vida das plantas
também os sons interferem. Em tudo e, absolutamente, em todas as emoções dos
animais irracionais e do homem, a música pode comprometer as inteligências, se mal usada.

No século VI a.C. Pitágoras afirmava: 'A música e a dieta são os dois
principais meios de limpar a alma e o corpo e manter a harmonia e a saúde de
todo organismo'.

Dr. Tartchanoff, pesquisador alemão, especialista nos fenômenos cerebrais,
provou que: 'A música exerce poderosa influência sobre a atividade muscular que
aumenta ou diminui, de acordo com o ritmo, o volume, o estilo, em qualquer
atividade'.''

FONTE: Letras Santas: a influência da música na saúde mental < http://letrassantas.blogspot.com/2007/09/artigo-influncia-da-msica-na-sade.html >. Acesso nov. 2011


'As indicações ao processo musicoterapêutico dirigem-se, sobretudo, à
indivíduos que apresentam variados graus de dificuldade ou impossibilidade de
expressão pela via da palavra falada, seja por lesões ou deficiências orgânicas
ou por problemas de ordem psíquica. No entanto, as indicações demandam um
cuidado específico e acompanhamento neurológico no caso de pacientes que
apresentem histórico de crises convulsivas. Em relação à idade do paciente, a
musicoterapia é indicada para indivíduos de qualquer idade...'

FONTE: Psicoway: profissionais e instituições de saúde mental. Texto de Cáudia Andréa Gori < http://www.psicoway.com.br/Internauta/SaibaMais/musicoterapia.htm > Acesso nov. 2011


Existem mensagens que a música está transmitindo, existem verdades sobre a
natureza da existência. Na natureza, você tem as suas coisas como árvores e
flores, grama, os seres humanos e o cérebro, a água e o ar. Lá estão essas
outras coisas que fazem parte da fabrica da existência que existe, como por
exemplo números existem como uma parte da natureza independentemente da
existência ou não da compreensão humana deles.

FONTE: Entrevista com John Frusciante < http://www.universofrusciante.com/2011/06/entrevista-com-john-sobre-saude-mental_25.html > Acesso nov. 2011


''A psicopedagoga musical Violeta Hemsy de Gainza (1988, p. 88) caracteriza a
música como 'coadjuvante do desenvolvimento integral do ser humano' e, no caso
de indivíduos que apresentam deficiências ou problemas físicos, afetivos,
mentais e/ou de integração social, a dimensão educativa da música se amplia,
para dar lugar à função terapêutica...''

FONTE: Universidade Estadual de Ponta Grossa: Revista Conexão. Promoção da Saúde Mental. Ed. 03 < http://www.uepg.br/revistaconexao/revista/edicao03/artigo13.pdf >. Acesso nov. 2011


''A música possui fatores culturais que são capazes de religar o indivíduo
adoecido aos valores culturais de seu meio e, portanto, a si mesmo,
reconstruindo a sua história. Em função disso, a música pode ser utilizada como
importante instrumento no tratamento de idosos com transtornos mentais,
especialmente, a demência.''

FONTE: Revista Latino-Americana de Enfermagem. Vol.13 n.05. Set/Out 2005 < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692005000500019&script=sci_arttext > Acesso nov. 2011